Vipbus

Archive for the ‘Cidades’ Category

Nossas rodoviárias

Posted by vipbus em 07/06/2010

Visite o blog do RDV e conheça o que o Rio de Janeiro está fazendo para recepcionar os turistas que chegarem de ônibus para a Copa 2014 e as Olimpíadas 2016…rs

Falando sério: para quem gosta do assunto rodoviárias, vale a pena clicar no link do RDV e conhecer o CODERTE.

Posted in Cidades | Leave a Comment »

Na terra do imperador

Posted by vipbus em 28/03/2010

Trânsito engarrafado, velocidade média de 5 km/h ou menos, nenhuma vaga de estacionamento e um cheiro não muito agradável proveniente do escapamento dos “veículos”.

Estamos falando de São Paulo, certo? Não, não. Estamos falando de Petrópolis.

Olhe a foto abaixo. Não há lugar para estacionar (rs) !

"Ponto final" de charretes

São as famosas charretes (ou vitórias) de Petrópolis, que fazem um city-tour pelo centro histórico da cidade, tema dessa postagem. O preço varia de 20 a 50 reais, de acordo com roteiro. Para quem não fizer muita questão, dá para fazer o roteiro a pé também e apreciar as belíssimas construções do centro histórico.

O ponto inicial do roteiro, é claro, tem que ser o Museu Imperial, “ponto final” das charretes. Logo na entrada dos jardins do museu quem nos recebe é o próprio D. Pedro II.

Estátua de Dom Pedro II, nos jardins do Museu Imperial

O Palácio de verão de D. Pedro II, hoje MUSEU IMPERIAL, foi a residência predileta do Imperador. Sua construção, iniciada em 1845, por determinação do monarca, e às expensas de sua dotação pessoal, deu origem à cidade de Petrópolis.

Ao entrar no museu a primeira orientação ao visitante é que ele use pantufas, uma forma de preservar o piso de mármore e madeiras nobres. A segunda orientação é para deixar bolsas, mochilas, câmera fotográficas ou de vídeo no guarda-volumes. É proibido tirar fotos no interior do museu! Infelizmente…

Lá dentro, o visitante poderá ver objetos pessoais da família imperial (mobília, jóias e retratos). Mas a principal atração é, sem dúvida, a coroa imperial de Dom Pedro II.

Fachada da entrada principal do Museu

Ao lado do prédio do museu há outro local interessante: o Prédio das Viaturas. Nesse local ficam expostas várias carruagens, muitas delas utilizadas pela família imperial.

Para quem gosta de trens há um espaço reservado com fotos e uma locomotiva para relembrar a Estrada de Ferro Leopoldina. O trecho da estrada que ligava Petrópolis ao distrito de Raiz da Serra em Magé foi inaugurado em 1883 e assassinado, ou melhor, desativado em 1964.

Locomotiva da E.F. Leopoldina

Mas se você acha que basta uma visita diurna ao Museu Imperial e tudo bem, está enganado.  Visitá-lo durante à noite também é um grande atrativo.

Vista noturna da fachada da entrada principal do Museu

E se você estiver em Petrópolis entre quinta-feira e sábado, pode conferir o espetáculo Som e Luz.

Trata-se de uma superprodução que utiliza efeitos especiais de iluminação e sonorização para reviver a história de D. Pedro II. O roteiro do espetáculo começa no dia do baile das princesas, quando as irmãs Isabel e Leopoldina são apresentadas a seus futuros maridos: o conde d’Eu e o duque de Saxe. Toda a corte está subindo a serra para comparecer ao evento.

A principal atração é uma cortina d’água – posicionada estrategicamente no lado oposto à fachada do palácio – que se torna a tela em que é projetada cenas do filme que complementa o show.

Espetáculo "Som & Luz"

O show ainda reserva espaço para contar sobre a Guerra do Paraguai, a proclamação da Lei Áurea e termina com a chegada da República. Em 45 minutos, a noite de Petrópolis é iluminada pelos efeitos especiais que permitem oferecer uma das mais inesquecíveis e emocionantes aulas de história brasileira.

E por falar em história, que tal conhecer a casa do maior inventor brasileiro, Santos Dumont? Numa breve caminhada a partir do Museu Imperial, chega-se ao Museu Casa de Santos Dumont.

Projetada por  Santos Dumont, a casa, carinhosamente apelidada por ele de “A Encantada” , expõe objetos pessoais e duas de suas criações: o chuveiro e a escada que obriga a subir com um pé de cada vez. Funciona de terça a domingo.

Casa de Santos Dumont

Ali perto, em homenagem ao centenário do voo de Santos Dumont no 14 Bis, há uma réplica do avião. Atenção: a placa de trânsito informa que ali é área de manobra! Então, cuidado: o 14 Bis pode alçar voo a qulaquer momento!

Réplica do 14 Bis

E o relógio das flores informa: já está na hora de ir embora de Petrópolis!

Relógio das Flores

Obviamente, Petrópolis não é só o centro histórico. Tem mais, muito mais. Mas, para quem só tem um dia para visitar a dica é ficar hospedado em um dos pouquíssimos hotéis na região central da cidade e sair a pé para conhecer um pouco de nossa história.

Ah, sim: o preço do hotel lá é salgado!

Mais informações em : www.petropolis.rj.gov.br e www.museuimperial.gov.br

O Palácio de verão de D. Pedro II, hoje MUSEU IMPERIAL, foi a residência predileta do Imperador, onde passou os melhores momentos de sua vida. Sua construção, iniciada em 1845, por determinação do monarca, e às expensas de sua dotação pessoal, deu origem à cidade de Petrópolis. O projeto original, do major e engenheiro alemão Júlio Frederico Koeler, superintendente da Fazenda Imperial, foi seguido, após sua morte, pelos arquitetos Joaquim Cândido Guilhobel e José Maria Jacinto Rebelo. O piso do vestíbulo, em mármore de Carrara e mármore preto da Bélgica, foi colocado em 1854, destacando-se ainda os assoalhos e esquadrias em madeiras de lei, como o jacarandá, o cedro, o pau-cetim, o pau-rosa e o vinhático, procedentes das diversas províncias do Império. Os estuques das salas de jantar, de música, da sala de visitas da Imperatriz, da sala de Estado e do quarto de dormir de Suas Majestades contribuem para dar graça e beleza aos ambientes do Palácio, um dos mais importantes monumentos arquitetônicos do Brasil. Os jardins foram planejados por Jean Baptiste Binot, com a orientação do próprio Imperador, e nele se encontram ainda espécies raras da flora brasileira e estrangeira.

Posted in Cidades, Turismo | Leave a Comment »

Poços de Caldas – rodoviários

Posted by vipbus em 05/02/2010

O terminal rodoviário de Poços de Caldas-MG fica logo na entrada da cidade, a uns 6km do centro. É administrado pela Socicam.

Bem dimensionada, possui 12 plataformas e uma boa infra-estrutura.

local: Poços de Caldas-MG , Dez/2009

Nove empresas operam neste terminal:

Rápido D’Oeste , na linha Poços de Caldas x Ribeirão Preto

linha: Ribeirão Preto (SP) x Poços de Caldas (MG) - local: Poços de Caldas-MG , Dez/2009

Viação Nasser e Viação Santa Cruz , com linhas interestaduais e intermunicipais para São Paulo, Ribeirão Preto, Campinas, Varginha, Pouso Alegre, Juiz de Fora, entre outras.

linha: Poços de Caldas (MG) x Alfenas (MG) - local: Poços de Caldas-MG , Dez/2009

E as empresas Viação Cometa (São Paulo, Rio de Janeiros, Campinas); Gardênia (linhas intermunicipais para Belo Horizonte e sul de Minas); Gontijo (linha Brasília x Aparecida); Rápido Luxo (Alfenas e região).

Chama a atenção uma enorme área inutilizada anexa ao terminal. São várias plataformas e esse “mini-terminal” que trazem uma impressão de que superdimensionaram a rodoviária de Poços de Caldas. Não tenho certeza, mas tudo leva a crer que ali seria o terminal turístico, local onde os ônibus de fretamento deveriam ficar estacionados ao invés de adentrarem ao centro da cidade. Mas como não há uma ligação eficiente entre o terminal e o centro – ligação que seria feita pelo monotrilho, anexo ao terminal  – o terminal e toda aquela área me parecem abandonados. Estava vazio no dia.

Terminal turístico anexo ao terminal - local: Poços de Caldas-MG , Dez/2009

Atualmente, os ônibus de fretamento adentram ao centro da cidade. No dia, um sábado nublado, não havia tantos. Em dias de maior movimento, talvez o trânsito fique meio confuso.

Fretamento - local: Poços de Caldas-MG , Dez/2009

Terminal turístico anexo ao terminal  –  local: Poços de Caldas-MG , Dez/2009

Posted in Cidades | Etiquetado: | Leave a Comment »

Baixada Santista — (final)

Posted by vipbus em 10/10/2009

SANTOS (finalmente!)

Santos “surgiu” em 1540 na condição de povoado, pertencendo à Vila de São Vicente.
Em 1° de Novembro de 1546  Brás Cubas, Capitão-Mór da Capitania de São Vicente, proclamou a independência de Santos, dando-lhe foros de Vila. E assim permaneceu por quase 300 anos quando, em 26 de Janeiro de 1839, foi elevada à condição de cidade.

Hoje a cidade tem 280 km² de território. Mas foi bem maior. Na divisão administrativa de 1933, Santos possuía três distritos: Santos, Cubatão e Guarujá.
Nos anos que se seguiram, seus distritos começaram a se desmembrar — Guarujá em 1934, Cubatão em 1948 e Bertioga em 1991.

vista de Santos no Monte Serrat

Segundo dados de 2008 do site do IBGE, havia 684 ônibus e 720 micro-ônibus emplacados no município.
A rodoviária não é das melhores em conservação, dimensionamento e localização. Porém, o seu ponto positivo é estar “colada” a um terminal urbano, o que facilita a utilização do transporte público da cidade.

TR # SAN-b

Finalizando as fotos dos ônibus que operam no terminal, temos a Expresso Brasileiro indo para o Aeroporto de Cumbica em Guarulhos…

linha: Praia Grande (SP) x Guarulhos-Aeroporto de Cumbica (SP)

linha: Praia Grande (SP) x Guarulhos-Aeroporto de Cumbica (SP)

E a São João, com horários para Jundiaí!

linha: Jundiaí (SP) x Praia Grande (SP)

linha: Jundiaí (SP) x Praia Grande (SP)

Sites pesquisados/relacionados:

Expresso Brasileiro
IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
Prefeitura do Município de Santos
São João Turismo

Posted in Cidades, Especiais | Etiquetado: | 2 Comments »